O que se acumula dentro do coração – 2006/2005

marca dàgua

2005 – cia. as duas dirigida por Marcelo Morato | RJ| SP

Inspirada nas histórias das peças domésticas do Bunraku (teatro de bonecos japonês) e na obra do cineasta Takeshi Kitano, autor de Dolls e Hana-Bi, a peça traz em si a tragédia decorrente do embate entre sentimentos humanos naturais e as convenções sociais. Ela é estruturada através de cinco personagens que vivem três histórias diferentes que em determinado momento se entrelaçam.

Cotidianas e atemporais as histórias procuram uma reflexão sobre as escolhas que fazemos no decorrer de nossas vidas e sobre o que é fundamentalmente humano e eterno em cada alma: a capacidade de amar.

Com o objetivo de aprofundar o caminho de envolvimento do público no ambiente da peça Liliane e Luisa propuseram a Ricardo Cutz (artista sonoro) que a trilha musical fosse substituída por uma instalação sonora e de maneira lúdica e sensorial, 80 mini auto falantes são distribuídos entre palco e platéia, criando um ambiente intimista.

Texto, interpretação, cenário e figurinos: cia. as duas

Direção: Marcelo Morato

Trilha e Instalação Sonora: Ricardo Cutz

Fotos: Mauricio Shirakawa

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que se acumula dentro do coração – 2006/2005

marca dàgua

2005 – cia. as duas dirigida por Marcelo Morato | RJ| SP

Inspirada nas histórias das peças domésticas do Bunraku (teatro de bonecos japonês) e na obra do cineasta Takeshi Kitano, autor de Dolls e Hana-Bi, a peça traz em si a tragédia decorrente do embate entre sentimentos humanos naturais e as convenções sociais. Ela é estruturada através de cinco personagens que vivem três histórias diferentes que em determinado momento se entrelaçam.

Cotidianas e atemporais as histórias procuram uma reflexão sobre as escolhas que fazemos no decorrer de nossas vidas e sobre o que é fundamentalmente humano e eterno em cada alma: a capacidade de amar.

Com o objetivo de aprofundar o caminho de envolvimento do público no ambiente da peça Liliane e Luisa propuseram a Ricardo Cutz (artista sonoro) que a trilha musical fosse substituída por uma instalação sonora e de maneira lúdica e sensorial, 80 mini auto falantes são distribuídos entre palco e platéia, criando um ambiente intimista.

Texto, interpretação, cenário e figurinos: cia. as duas

Direção: Marcelo Morato

Trilha e Instalação Sonora: Ricardo Cutz

Fotos: Mauricio Shirakawa

Este slideshow necessita de JavaScript.

×
×